“Livro do Desassossego” – Nota de Início

pessoa2

Desde que entrei na sexta série, morro de vontade de ler este livro! Tive um professor de literatura que era louco (alucinado mesmo!) por Fernando Pessoa. Ele sempre falava dos heterônimos, da genialidade e de como uma só vida não podia abarcar toda a complexidade e riqueza daquele ser.

Falava também do fato de o bardo muitas vezes escrever em pé, tamanha a volúpia mental e emocional que o acometia quando se dedicava poesia. Ele era poeta e nutria um amor profundo pelo ofício, portanto, às vezes, ao falar de Pessoa faltava-lhe ar.

Ele falava com tanta paixão, com tanta certeza, que esta mesma se derramava e nos contaminava a todos a cada uma de suas aulas. Ansiávamos por elas.

Penso ser melhor assim: é necessário um poeta e escritor, para dar aula de literatura! Alguém que encare a matéria, não como matéria, mas como objetivo de vida. O mesmo se aplica às demais.

Apesar de muito fã de “Mensagem”, ele um dia nos falou sobre o “Livro do Desassossego”. De como Pessoa havia escrito um livro sobre a existência. Sobre aquilo que acontece entre os eventos, aqueles espaços de iminência aos quais não damos tanta bola.

Existe uma riqueza incalculável naqueles momentos que só você desfruta.  Um pôr-do-sol, uma vista bela (ou não), um som, uma sensação, um pequeno estado de lucidez que te proporciona a prosaicalidade da sua vida.  E você mesmo pensa: Poxa! Poderia escrever sobre isso! Só que não há uma história… é só um momento! E mesmo na impossibilidade de traduzi-lo em um registro coerente, todos vemos a preciosidade dessas horas.

Não é o milagre do acontecimento da vida que o detinha nesse livro, é o desassossego que germina entre um episódio e outro, estes espaços, essa incoerência da essência, que de tão pura contagia à todos. Mal posso esperar para ler!

Próxima descoberta: “Livro do Desassossego”.

4 comentários sobre ““Livro do Desassossego” – Nota de Início

  1. Page devidamente curtida!
    Não sei se pra dar aula de literatura toca ser poeta ou escritor, PORÉM, como vc disse, é necessário fazer da literatura um estilo de vida. Nisso não poderia concordar mais. =)

    E o livro do desassossego, tive que lê-lo por partes. Cada fragmento me afetava de uma maneira tão louca que me deixava num estado que não tenho palavras pra dizer. É o anti-livro por excelência.

    Bjo, minha querida, parabéns pelo post e, sim, leia esse livro, demore o tempo que demorar ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s