“Berlin Alexanderplatz” – Nota de Início

blogberlinprov2

Desta vez vou com a cara e a coragem mergulhar nas centenas de páginas de “Berlin Alexanderplatz”, o clássico de Alfred Döblin. Não li nada de específico sobre o livro, tudo o que me lembro são de alguns comentários esparsos ao longo dos anos.

Já fiz isso antes, e espero que esta atitude me ajude a devorar o livro com olhos curiosos, sem idéias pré-estabelecidas. Vamos ver no que dá, não é?

Sei que foi escrito no período entre guerras, que faz menções ao cristianismo, sei que o texto tem uma estrutura inusitada e sei que Fassbinder o adaptou. O badalado diretor fez uma minissérie sobre o livro para a televisão, que tem ao todo mais de 15h de duração. Todo mundo fala desta telesérie! É incrível! Em um dado momento cheguei a pensar que para a minha geração é mais importante assistí-la do ler o livro. Entretanto, não pretendo assistir tão cedo, vou esperar alguns meses após a leitura do livro.

Estas são as minhas expectativas. Volto a postar no blog para contar o desenrolar.

“Berlin Alexanderplatz” – Alfred Döblin

Aqui você encontra todos os textos sobre a obra em questão:

Nota de Início – Impressões e considerações pré-leitura.

Nota de Conclusão – Impressões e considerações pós-leitura.

Relatório de Leitura – Um diário de leitura, com as dificuldades e particularidades da leitura de cada livro. O meu dia-a-dia com o livro e com a experiência de sua leitura.

Guia de Leitura – Dicas para facilitar a leitura, o entendimento da trama, e a melhor assimilação da obra.

“A morte de Ivan Ilitch” – Liev Tolstói

Aqui você encontra todos os textos sobre a obra em questão:

Nota de Início – Impressões e considerações pré-leitura.

Nota de Conclusão – Impressões e considerações pós-leitura.

Relatório de Leitura – Um diário de leitura, com as dificuldades e particularidades da leitura de cada livro. O meu dia-a-dia com o livro e com a experiência de sua leitura.

Guia de Leitura – Dicas para facilitar a leitura, o entendimento da trama, e a melhor assimilação da obra.

“A morte de Ivan Ilitch” – Nota de Conclusão

A imagem veio daqui.

Lido.

Enfim, a primeira coisa que eu posso dizer sobre o livro, foi que não me identifiquei com o protagonista. Sou diferente de Ivan Ilich, não faria as escolhas que ele fez.

Inclusive para mim foi difícil internalizar o conflito do personagem, conseguir entender a leveza das suas atitudes, de certa forma, ele me irritou um pouco.

Fora isso, o texto de Tolstói é ótimo. A habilidade dele de dar profundidade à cena e construir diferentes camadas a cada passagem é fantástica.

Não tive problemas em ler o livro, que, diga-se de passagem, é bem pequeno. Tolstói foi direto ao ponto e não enrolou. A velocidade de leitura correu a contento. Fiquei satisfeita com a estrutura e o desenrolar da história. O livro é uma jóia. É curto, valioso, e esteticamente interessante. Gostei da proposta e da desenvoltura do autor ao trabalhá-la.

“A morte de Ivan Ilitch” – Nota de Início

Antes de qualquer coisa vale fazer uma ressalva: o livro mencionado na lista do The Guardian/Clube do Livro da Noruega possui uma constituição diferente das disponíveis no Brasil. Naquele volume ele inclui vários contos alguns pouco publicados no Brasil. Portanto, se você espera ler o mesmo exemplar, desista. Para termos idéia do conteúdo eleito como essencial pelo júri, é necessária uma gambiarra. Primeiro saber os contos, ver o que existe disponível no Brasil e depois procurar o que falta pela internet.

Pretendo fazer uso do site Domínio Público, que dispõem de todos os itens. O ponto negativo é que as obras estão em inglês, mas de fato não encontrei outra saída. Quanto à parte dos contos, confesso que não sou uma conhecedora profunda dessa parte da obra de Tolstói, e pelo levantamento que já fiz, desconheço uma boa parte deles. Estou louca para conhecer!

Já o carro-chefe, “A morte de Ivan Ilich”, já o li na época de faculdade, por isso não chega a ser uma novidade. Posso dizer que é um livro curto. Lembro de tê-lo lido com facilidade, mas como passaram-se muitos anos, existem lacunas abertas, e assim como com “Ana Karenina”, quero saber se o livro que eu lembro, é o mesmo que eu li.

Minhas conclusões vão ser as mesmas? Minhas passagens favoritas também? O que a memória fez questão de esquecer? E o mais importante: o que permanece vivo em mim, pois ela fez questão de guardar?

“Ana Karenina” – Guia de Leitura

ana vai

Foram páginas e páginas. Um livro denso sem dúvida, e também um clássico. Enquanto pensava em como fazer este guia de leitura, pensei em ser muito sucinta. Vocês sabem que eu sou adepta do: “Leia e veja no que dá. Apenas leia e a obra fará o seu trabalho”. Entretanto, como se trata de um livro relevante, resolvi ser um tantinho mais minuciosa. Divido esse Guia em tópicos e diferentes perfis. Espero que cumpra o seu intuito e auxilie os que pretendem ler este trabalho sem igual de Tolstói.

  • Se seu vocabulário não é tão amplo, não tenha medo ou vergonha de usar um dicionário. O mais importante é ler!
  • Aconselho a comprar este livro. Ele é essencial para qualquer biblioteca, bem como seu prestígio é eterno. Vale o investimento.
  • O texto de Tolstói é bem simples. Ele não viaja muito. Não faz frases gigantescas e não costuma enrolar. A trama, essa sim, costuma ser mais complexa. Ela não é difícil, só que possui muitas ligações entre os personagens durante o texto. Ele faz várias histórias em uma só. É muito rico.
  • Preste atenção às traduções. Algumas que têm como alvo o público adolescente ou jovem, são mais fluidas e modernas. Outras são para os amantes da literatura, são mais preciosas, artísticas e universais. Existe também grande variedade de preços. Pese os prós e os contras antes de adquirir seu exemplar. Caso só haja uma edição disponível, não pestaneje e vá nela mesmo!
  • Se você costuma ler com certa frequência, leia sem medo. Agora, se você é um iniciante, não lê nunca e não tem intimidade com literatura, desfrute-o com cuidado, atenção e carinho, pois algumas passagens importantes podem passar despercebidas para quem não está acostumado. Se você for um estudante e além de conhecer a obra quer um verniz, ou uma adição intelectual para si, aconselho a ler um ou dois contos de Tolstói antes do livro, existem vários pela internet, e assim você vai se aclimatizar com o texto dele. Se a sua curiosidade e segurança estão em dia, mesmo que você não seja um leitor contumaz, e tudo o que você quer é conhecê-lo. Eu te digo para ler sem medo, e desfrutá-lo com vontade.
  • Você encontrará várias grafias tanto do título do livro, como do nome do autor. É tudo uma questão de tradução. Prefira as que são diretas do Russo e que obedecem as normas de transliteração do Russo para o Português. É Tolstói, e não Tolstoy. Leão, Leon ou Liev, são as traduções corretas do nome do escritor. Se seu objetivo não é o de tornar-se um conhecedor, isto provavelmente não fará tanta diferença. Folheie e veja qual mais te apetece.
  • Entre os círculos mais cultos, as editoras mais indicadas (na verdade as únicas que eles consideram) são: 34, Cosac Naify, Hedra, Kalinka e Amarilys.

Estas foram as minhas considerações e ressalvas. Desejo a todos vocês uma boa leitura!