“Casa de Bonecas” – Henrik Ibsen

Aqui você encontra todos os textos produzidos no blog sobre a obra em questão.

Nota de Início – Impressões e considerações pré-leitura.

Nota de Término – Impressões e considerações pós-leitura.

Relatório de Leitura – Um diário de leitura, com as dificuldades e particularidades da leitura de cada livro. O meu dia-a-dia com o livro e com a experiência de sua leitura.

Guia de Leitura – Dicas para facilitar a leitura, o entendimento da trama, e a melhor assimilação da obra.

Resenha em Vídeo – Resenha em vídeo da obra.

Posts Relacionados

Aqui se encontram alguns textos para ajudar a entender a obra.

Laura Kieler, a mulher que inspirou Ibsen a escrever “Casa de Bonecas”.

Pistas de Nora – Parte Um – Conversa com a Senhora Linde.

Apócrifos

Textos inspirados pela obra.

Nora e a superioridade

“Casa de Bonecas” – Nota de Conclusão

 

henrik_ibsen_quote_3

Terminei de ler a peça. Ibsen continua a me surpreender. Diferente de “Um Inimigo do Povo”, esta peça é mais “íntima”. Os conflitos interiores da protagonista se ampliam e dão o tom da trama. O que eu posso dizer é que Ibsen é adepto do tudo ou nada, de um isto ou aquilo (Cecília Meirelles!), por assim dizer. Assim como no “Inimigo” em que o personagem cobrava comprometimento dos demais, e acabava por partir para um rompimento radical,  nesta peça o personagem cobra sinceridade e acaba por partir para… Bom, vocês vão ler a peça e saberão!

Obs.:Esta semana tivemos um atentado contra a redação do jornal “Charlie Hebdo” em Paris. A citação de Ibsen que encontrei na net foi a que melhor sintetizou tudo o que eu penso à respeito.

Próxima Obra: “Casa de Bonecas”

casadebonecas

A imagem veio daqui.

 

Bom, chegou a hora de mais um livro – na realidade uma peça teatral. A próxima obra é “Casa de Bonecas”, de Henrik Ibsen.

Estou curiosa. Sempre tive vontade de ler este texto, não sei ao certo o porquê de nunca ter lido. Não sou exatamente uma neófita em Ibsen, já encenei “Um inimigo do Povo”, há uns oito anos atrás (fui a Petra). Amei a experiência, foi tudo muito bom. Também gosto do texto. Nunca esqueci o: “O homem mais poderoso do mundo é aquele que está só”.

Recebi várias opiniões sobre o texto, mas o fato é que ele é fundamental para o teatro, a literatura e para compreender a forma como o homem contemporâneo enxerga a si mesmo.

Vamos ver o que Ibsen tem a acrescentar!